Você consegue imaginar como seria a vida sem internet? A rede faz parte do nosso cotidiano há quase três décadas, sendo que cada vez mais dispositivos passam a ser conectados a ela. Mesmo usando a rede diariamente, pouca gente sabe de fato como ela surgiu.

rede surgiu em 1969, nos Estados Unidos. Era chamada de Arpanet, sigla para Advanced Research Projects Agency Network (Rede da Agência de Projetos e Pesquisas Avançadas), órgão ligado ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Já nessa fase, a rede utilizava o protocolo de comunicação TCP/IP, que é usado até hoje.

Painel do primeiro processador da UCLA (Universidade da Califórnia) a transmitir uma mensagem pela Arpanet Imagem: Wikimedia Commons

Inicialmente, a Arpanet servia para interconectar redes acadêmicas e, posteriormente, militares — daí o nome “internet”, aglutinação das palavras “interconnected network”, ou “rede interconectada. O intuito era garantir que, mesmo sob ataque, militares e cientistas pudessem se comunicar. Vale lembrar que o mundo vivia a Guerra Fria.

O uso global da internet começou em 1982, quando países como Holanda, Suécia e Dinamarca passaram a usar a rede. O nome também mudou, de Arpanet para internet.

A rede deixou de ser restrita ao uso acadêmico, científico e militar em 1987, quando sua utilização comercial foi liberada nos Estados Unidos. Alguns anos depois, em 1992, começaram a surgir empresas provedoras de acesso à rede e, na Europa, surgiu a World Wide Web (WWW).

Diferentemente do que muitos pensam, World Wide Web não é sinônimo de internet. Ela é mais uma “rede dentro da rede”, um sistema composto por documentos em hipermídia – vídeos, sons, hipertextos e imagens – interligados e executados na internet.

Segundo dados do site Statista, estima-se que 4,4 bilhões de pessoas são usuárias ativas da internet —o equivalente a 58% da população mundial.